BioTerra

sábado, 29 de novembro de 2008

Fundos oceânicos

Hoje em dia, graças a instrumentos como os sonares, montados em navios e submarinos, e os radares altimétricos, montados em satélites conhecemos a configuração dos fundos oceânicos nos mais pequenos pormenores. Em cada região do planeta, existe um conjunto de características comuns.

O limite de maré, que constitui o início do ambiente marinho, é na realidade um limite virtual, dado que a margem dos continentes se prolonga abaixo do nível do mar através de uma plataforma que decresce progressivamente, a chamada plataforma continental. Esta, partindo da costa, chega a uma profundidade média de 200 m e representa a zona do mar mais rica em organismos e onde as actividades piscatórias são mais intensas. Para lá da plataforma continental, o fundo marinho «afunda-se a pique», formando o talude continental, que atinge uma profundidade superior a 3000 m, constituindo um limite entre os continentes e os fundos oceânicos.

No fim do talude continental ,os fundos adquirem o aspecto de imensas planícies abissais, situadas a uma profundidade média de 4000-5000 m. Aqui, as rochas são muito raras e o fundo é constituído por uma imensa superfície de lodo muito fino.

Só no meio de cada um dos três oceanos principais as monótonas planícies são interrompidas por uma série de longas cadeias montanhosas, onde a intensa actividade vulcânica está na base da formação dos fundos oceânicos. Estas montanhas, chamadas dorsais oceânicas nalguns pontos chegam à superfície, dando origem a ilhas oceânicas como os Açores. Entre estas existe uma enorme fenda que se chama vale do rifte. As dorsais oceânicas ou cristas oceânicas também são cortadas perpendicularmente por falhas transformantes.


Contudo, os fundos marinhos não se limitam a estas profundidades. As zonas mais profundas são as fossas oceânicas, que podem chegar até aos 11 000 metros.

Reflexão:
Na medida em que os oceanos cobrem mais de dois terços da superfície terrestre e constituem o mais importante reservatório de água do nosso planeta, achei interessante a publicar um artigo sobre o fundo destes, espero que seja útil para uma boa compreensão deste capítulo do programa, tal como foi para mim. Na minha opinião, podemos comparar os fundos oceânicos às paisagens dos continentes, pois ambos possuem montanhas, vales e planícies!

Fontes:

Gabbi, Giuseppe; Somaschini, Alessandra; Enciclopédia Universal; Volume 15 - Os Oceanos; Asa Editores; 2001

http://paginas.terra.com.br/educacao/sariego/sistema_profundo.htm

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial