BioTerra

sábado, 14 de março de 2009

Ginecologista italiano faz fecundação artificial de mulher com marido em coma

O conhecido ginecologista italiano Severino Antinori vai efectuar, pela primeira vez em Itália, a fecundação artificial de uma mulher cujo marido está em coma irreversível, apesar da oposição do Vaticano, noticiou a imprensa no final do mês anterior.

"É um desafio contra o tempo e contra a doença. Decidi agir dado que o tribunal autorizou a recolha de esperma do marido", afirmou o ginecologista, já no passado alvo de controvérsia por ter permitido que mulheres, na fase de menopausa, engravidassem, de acordo com o diário Corriere della Sera.


"Desejo ajudar esta mulher que decidiu ser mãe para reagir à imensa dor de uma morte anunciada", adiantou Severino Antinori, alcunhado "parteiro de avós" pela imprensa da Península.
Em Itália, a fecundação "in vitro", com um doador de esperma em coma, será uma estreia, referiu o Corriere. O diário La Repubblica afirmou que há um mês foi diagnosticado ao marido, de 35 anos, um cancro no cérebro, numa altura em que o casal, tinha decidido ter um filho, adiantou o jornal.

"O que se está a preparar é ilegal porque é necessário o acordo dos dois pais para a procriação. Neste caso, o marido é considerado como um mero reservatório de células", criticou Elio Sgreccia, presidente de honra da Academia Pontifícia para a Vida, citada pelo Corriere della Sera.



Reflexão:
A ciência é um «instrumento» que pode modificar muito a vida da Humanidade, no entanto pode ser utilizada para o bem ou como para o mal. A fecundação artificial realizada por este conceituado ginecologista italiano, tem sido alvo de grande controvérsia, sem nunca terem existido casos deste tipo relatados, várias identidades se opuseram sobre este acto.
Na minha opinião, uma vez que a ciência consegue «dar à mãe esta criança» porque não tentar? Para esta mulher a morte anunciada do marido é um grande motivo de dor, esta criança será a recordação que esta mulher guardará do seu companheiro. Apesar disso, a falta de uma pai durante a educação de uma criança também pode ser bastante penalizador para o desenvolvi
mento desta. Existem também outros factores que devem ser considerados porque tal decisão tem várias implicações a nível de mentalidades, científicos e outros conceitos como o valor da vida humana.
Certamente, que o leitor terá uma opinião diferente da minha, por isso peço-lhe que deixe um comentário nesta postagem!

Fontes:
http://www.cienciahoje.pt/index.php?oid=29665&op=all

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial