BioTerra

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Brânquias

As brânquias são órgãos do sistema respiratório dos animais aquáticos, que também pode ser designadas por guelras. Estas estão protegidas por estruturas apropriadas. No caso dos peixes ósseos existem os opérculos. Nestes peixes, as guelras são ventiladas continuamente por uma corrente de água que entra na boca, banha as guelras e sai através das fendas operculares. O movimento dos opérculos ajudam a bombear a água através da boca. Nas guelras distinguem-se os arcos branquiais, estruturas esqueléticas que suportam séries duplas de filamentos que se inserem obliquamente. Esta divisão das brânquias em filamentos aumenta extraordinariamente a superfície de difusão.

Sistema branquial

A água entra na boca do peixe, ao passar por entre as lamelas cruza com o sangue que circula nos capilares sanguíneos em sentido contrário, ou seja, o sangue flui num sentido contrário ao da água – sentido contracorrente. Este mecanismo permite aumentar significativamente a eficiência das trocas gasosas a nível dos capilares. Quando o sangue flui através dos capilares torna-se cada vez mais enriquecido em oxigénio e, porque circula no sentido contrário ao da água, vai contactando com a água que é sucessivamente mais rica em oxigénio. O sangue recebe o oxigénio até que se atinja um ponto em que a concentração de oxigénio nos dois meios seja idêntica. É por este motivo que o dióxido de carbono se difunde para a água, pois esta tem uma pequena concentração deste gás.



Fontes:
http://www.cientic.com/portal/
Carpaneto, Maria Giuseppe; Enciclopédia Universal; Volume 12; Asa Editores; 2001

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial