BioTerra

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

Origem do petróleo

Os oceanos de há 400-500 milhões de anos «pulavam» vida. Milhares de milhões de microorganismos semelhantes ao plâncton nadavam nos mares e, quando morriam precipitavam para o fundo. É a estas microscópicas criaturas que devemos a existência do petróleo e dos seus derivados. Mas como se formou o petróleo?


A época remota ao período Ordovício, há cerca de 400 milhões de anos. Neste período, os organismos mortos acumulavam-se nos fundos oceânicos, onde foram sepultados pelos sedimentos. A sua decomposição, por obra de bactérias especiais, foi naquelas condições muito lenta. Entretanto, outros sedimentos foram-se acumulando sobre os anteriores, que continuaram a afundar-se , enquanto as bactérias completavam a sua obra, produzindo metano e deixando uma escória orgânica.

À medida que a camada onde se encontravam os resíduos descia de 1 a 2 km na crusta terrestre, a temperatura tornava-se cada vez mais elevada, quebrando as moléculas das escórias, nas zonas onde tal situação aconteceu desenvolveram-se os hidrocarbonetos. Flutuando na água subterrânea como gotículas, os hidrocarbonetos iniciaram longas migrações através das vicissitudes da crusta. Em muitos casos, ficaram aprisionados em rochas rosas, onde se acumularam, formando jazidas de petróleo.

Estudando as características geológicas da superfície e «radiografando» o subsolo com técnicas especiais, os geólogos conseguem identificar as zonas onde a probabilidade de descobrir uma jazida é maior. Mas só sondando o terreno atinge profundidades consideráveis (que podem chegar a mais de 2 Km em profundidade) é possível confirmar a existência de uma reserva subterrânea de petróleo.


Reflexão:
O petróleo é um combustível fóssil que alimenta cerca de 40% das necessidades energéticas da população mundial, prevê-se que este atinja o seu ápice em 2040. Como tal achei interessante publicar uma postagem sobre este recurso natural não renovável, que é o nutriente da sociedade consumo. Deste modo, pretendo alertar o leitor para a urgência da utilização das energias renováveis, que não são poluidoras, ao contrário dos combustíveis fósseis. Por outro lado, as perfurações petrolíferas fornecem também dados importantes para a investigação e compreensão do interior da geosfera, constituindo um método de estudo directo.

Fontes:

Pinna, Lorenzo; Enciclopédia Universal; Volume 7 - A Terra; Asa Editores; 2001

http://cristinabrinco.wikispaces.com/file/view/oil_platform_lg.jpg

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial