BioTerra

terça-feira, 28 de abril de 2009

Sistemas de transporte nos animais

Tal como acontece com as plantas, os animais também necessitam de efectuar trocas com o meio exterior , nomeadamente, de receber oxigénio e nutrientes e eliminar dióxido de carbono e outros materiais decorrentes do processo metabólico. Assim, em todos os animais, as células estão rodeadas por um fluido intersticial, com o qual estabelecem as trocas de materiais. À medida que os animais se tornam mais complexos, os seus sistemas de transporte tornam-se mais especializados.

Os animais mais complexos podem apresentar dois tipos de sistemas de transporte:

_Sistemas circulatórios abertos: a hemolinfa abandona os vasos sanguíneos, ocupando o hemocélio.

_Sistemas circulatórios fechados: o líquido circulante designa-se sangue e, em condições normais, nunca abandona os vasos sanguíneos. As trocas de substâncias realizam-se entre o sangue dos capilares e a linfa que envolve as células – linfa intersticial. O sangue fornece oxigénio e nutrientes e recebe produtos resultantes do metabolismo celular.



Nos sistemas circulatórios abertos, a hemolinfa tem uma velocidade de circulação menor. Contudo em animais mais complexos e com taxas metabólicas mais elevadas, há necessidade de fornecer com maior rapidez, oxigénio e nutrientes e, por outro lado, remover os produtos tóxicos resultantes do metabolismo. Esta situação e conseguida pelos sistemas circulatórios fechados.


Tipos de circulação

Os sistemas circulatórios fechados podem ser organizados de forma que a circulação seja simples ou dupla, podendo, neste último caso, considerar-se completa ou incompleta.

Circulação simples – o sangue só passa uma vez pelo coração em cada circulação;

Circulação dupla – o sangue passa duas vezes pelo coração em cada circulação, efectuando assim dois trajectos diferentes, permitindo assim que o sangue circule com maior pressão existindo assim um fluxo mais vigoroso de sangue a atingir os tecidos dos diferentes órgãos. Assim podemos compreender dois tipos de circulação: sistémica e pulmonar.

  • Circulação dupla completa – Não há mistura de sangue venoso com sangue arterial, ao nível do coração (aves e mamíferos). Coração com quatro cavidades: duas aurículas e dois ventrículos.
  • Circulação dupla incompleta – Há mistura parcial de sangue venoso com sangue arterial, ao nível do ventrículo (Anfíbios). Coração com duas cavidades: duas aurículas e um ventrículo.


Reflexão:

Todos os seres vivos necessitam de realizar trocas de substâncias com o meio envolvente, esta é uma das condições fundamentais à manutenção da vida, estas trocas são asseguradas pelos sistemas de transporte. Nesta postagem, estão confrontados alguns deles. Assim podemos afirmar que: nos peixes, a pressão sanguínea nos vasos que se dirigem para os tecidos é mais baixa do que nos outros vertebrados. Dado que nos peixes, os vasos que se dirigem para os tecidos vêm das brânquias (e não passam novamente pelo coração), contrariamente aos outros vertebrados, em que o sangue proveniente dos pulmões, passa pelo coração para ser bombeado com maior pressão para os tecidos, então a oxigenação deles é pouco eficiente.
Entre os tipos de sistemas apresentados existem mais diferenças, por isso, peço ao leitor que deixe as suas opiniões.

Fontes:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Sistema_circulat%C3%B3rio

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]



<< Página inicial